Rua Soldado Américo Rodrigues, 118 - São Paulo-SP 11 99480-2821 11 2954-3629 11 4380-1780

Sustentabilidade empresarial: 7 práticas certeiras de empresas sustentáveis

Gostou? compartilhe!

Sustentabilidade empresarial: 7 práticas certeiras de empresas sustentáveis

O que é sustentabilidade empresarial?

O conceito de sustentabilidade empresarial surgiu no fim dos anos 80 durante a Comissão Mundial do Meio Ambiente e o Desenvolvimento.

Com o objetivo de encontrar saídas concretas para o problema do uso irresponsável dos recursos naturais, a comissão conseguiu chamar a atenção do mundo apresentando estudos e dados preocupantes para o futuro sustentável do planeta.

Por meio do relatório “Nosso Futuro Comum”, ficou evidente a participação crucial dos países industrializados no processo de degradação do meio ambiente, como pelo descarte incorreto de resíduos no solo e a emissão de gases do efeito estufa, por exemplo.

Foi então que o termo “sustentabilidade” passou a ser utilizado com mais frequência e de lá para cá a sociedade e o poder público têm pressionado cada vez mais as empresas quanto à adoção de práticas conscientes no desenvolvimento de suas atividades.

A sustentabilidade empresarial alia a preservação ambiental à ampliação das possibilidades de negócios.

Dessa forma, a sustentabilidade empresarial é definida por muitos ambientalistas como o conjunto de ações que minimizam os impactos das atividades de uma empresa no meio ambiente.

A sustentabilidade também pode ser entendida como algo que é mantido, suportado, tolerado e que não gera consequências negativas para a saúde do planeta.

Qual a importância da sustentabilidade empresarial?

Especialmente em relação às empresas, a sustentabilidade é a garantia da sua sobrevivência a longo prazo.

Uma organização depende dos recursos naturais na mesma proporção em que depende da preservação destes recursos para a manutenção das suas próprias atividades nas melhores condições possíveis.

Para o meio ambiente a importância da sustentabilidade empresarial é inquestionável.

Cerca de 90% da exploração dos recursos naturais existentes fica a cargo das indústrias, com grande destaque para os setores têxtil, automobilístico, químico e as siderúrgicas.

Poluição: um dos alertas para a necessidade de investimentos nas práticas de sustentabilidade empresarial.

Os dados da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre mudanças climáticas e recursos naturais ainda não são favoráveis, apesar dos esforços e das campanhas de conscientização elaboradas pelos governos e pelos órgãos de defesa do meio ambiente.

Caso a exploração de recursos naturais continue sem nenhuma reparação ou controle, a previsão é que haja um déficit de pelo menos 40% de água potável até o ano de 2030 em todo o planeta.

Ainda segundo os dados recentes da ONU, até o ano de 2100 o efeito estufa será responsável pelo aumento de aproximadamente 4 graus na temperatura da terra.

Sendo as empresas as maiores consumidoras de água e energia, a responsabilidade com o consumo destes recursos é ainda maior, afinal, os efeitos do aquecimento global já podem ser sentidos em diversas regiões do mundo, além da falta de água nos rios.

Quais as grandes vantagens das práticas empresariais sustentáveis?

De acordo com um estudo divulgado em 2015 pela MIT Management Review & The Boston Consulting, 37% dos empreendedores consultados tiveram aumento dos lucros a partir da implementação do conceito de sustentabilidade empresarial.

E o que mais chamou a atenção foi o fato de que a mesma pesquisa, 1 ano atrás, revelou que apenas 23% dos empreendedores consultados haviam obtido lucros relevantes com essa prática.

Sustentabilidade empresarial: o Google é uma empresa que aplica práticas sustentáveis.

Diversas empresas já implementam suas próprias práticas de sustentabilidade.

O Google e a Microsoft, por exemplo, utilizam maciçamente a energia solar no desenvolvimento de seus projetos.

Com a adoção de práticas sustentáveis, as empresas não só otimizam o uso de recursos naturais, como também fortalecem suas marcas no mercado associando seus produtos e serviços ao conceito de “produtividade limpa e saudável”.

Veja agora algumas das principais vantagens das práticas empresarias sustentáveis:

Ganho econômico

Um dos grandes entraves referentes à sustentabilidade empresarial é sem dúvida um possível aumento de despesas com a compra de equipamentos, mudança de hábitos e de regras na política interna das organizações, bem como a busca por novas fontes de energia.

No entanto, inúmeros estudos comprovam que a prática da sustentabilidade pode aumentar a lucratividade das empresas.

O reaproveitamento de matérias-primas, a diminuição do desperdício, a ampliação das possibilidades de fechamento de negócios são algumas vantagens percebidas a médio e longo prazo com a aplicação de práticas sustentáveis.

Melhora na reputação

Outra vantagem de uma atitude sustentável é a sensível melhora na imagem da organização perante o mercado.

Empresas sustentáveis estão menos sujeitas a processos judiciais, multas e interdições, pois seguem restritamente os principais tratados e recomendações dos órgãos ambientais.

Dessa forma, a empresa fará a melhor publicidade possível, especialmente em tempos de participação maciça da população nas redes sociais.

Comprovadamente, a sociedade está cada dia mais preocupada com as questões ambientais e interessada em saber o que fazer para dar sua contribuição.

Nesse sentido, as empresas sustentáveis têm a preferência da maioria absoluta dos potenciais clientes e isso é essencial para o sucesso no mundo dos negócios.

Benefícios fiscais

Se as vantagens apontadas até aqui ainda não foram suficientes, basta lembrar que na maioria dos países, as empresas sustentáveis, além de inúmeros benefícios fiscais, têm a preferência para a concessão de empréstimos, isenções fiscais e muitos outros benefícios.

No Brasil, por exemplo, inúmeros programas foram criados com o objetivo de incentivar ainda mais a sustentabilidade empresarial.

O programa “IPTU Verde” concede descontos para pessoas físicas e jurídicas que desenvolvem projetos sustentáveis, desconto na quitação de débitos relativos à CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) aos que adotarem o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e preferência para as empresas sustentáveis com relação aos contratos e licitações.

Ampliação do mercado

Esse é o chamado “Investimento Social Responsável”, que ocorre quando as empresas firmam parcerias somente com aquelas que mantêm uma política séria e abrangente de responsabilidade ambiental.

Tais empresas formam uma espécie de “família” e exigem umas das outras a implementação e ampliação de projetos sustentáveis que devem ser constantemente fiscalizados com relação aos possíveis desvios de rota e negligências.

Dessa forma, fica fácil imaginar o prejuízo das empresas que optam por não aderir à referida política: estão fadadas a perderem espaço no mercado e a ficarem cada dia mais isoladas no cenário de competitividade do mundo corporativo contemporâneo.

Funcionários mais produtivos

Como mencionado nos tópicos anteriores, sustentabilidade empresarial não está limitada apenas ao reaproveitamento de matéria-prima e à diminuição da produção de resíduos.

O conceito de sustentabilidade envolve também uma questão humana e ressalta a importância da geração de lucro de maneira consciente, tanto com relação ao uso dos insumos de produção, como também com a própria experiência dos trabalhadores nesse processo.

Logo, as atitudes empresariais sustentáveis também estão atreladas a alguns fatores como uma remuneração adequada dos funcionários, a extinção do trabalho escravo e treinamentos para que todos sejam capazes de tornar o ambiente de trabalho cada vez mais saudável.

7 práticas sustentáveis certeiras feitas por empresas

Além de lutar contra o desperdício de recursos naturais e incentivar o desenvolvimento de técnicas para o reaproveitamento de matérias-primas, o empreendedorismo do século XXI convida as empresas e empresários a repensarem seus projetos tendo o conceito de sustentabilidade empresarial como base de avaliação.

Isso significa dizer que a sustentabilidade tende a ser algo atemporal que continuará tendo seu espaço nas convenções internacionais, na mídia e nas salas de aula, haja visto que várias partes do mundo já sofrem com as consequências do aquecimento global e com a falta de água potável.

Pensando dessa forma, existe uma série de práticas que são consideradas extremamente eficazes na aplicação da sustentabilidade empresarial, tais como:

Decisão Organizacional

A decisão organizacional pode ser definida como a mudança na política de uma empresa com o objetivo de equilibrar a necessidade de crescimento econômico e obtenção de lucros com as limitações que as preocupações ambientais impõem a essas necessidades.

Essa decisão é posta em prática por meio da formação interna de líderes e profissionais, especialmente designados para lidarem com essas questões dentro da empresa e também fazer com que essa nova mentalidade integre a essência da atividade empresarial.

Criação da equipe

Em algumas organizações, o termo Ecotime já é bastante utilizado para designar o grupo de colaboradores especialmente capazes de reconhecer os setores da sociedade afetados pelas atividades da empresa, seja do ponto de vista ambiental, social e/ou econômico.

Essa equipe, profundamente conhecedora da estrutura administrativa e organizacional da corporação, será capaz de desenvolver ideias referentes a novos processos de produção, utilização de tecnologias e técnicas de gestão.

Há também o trabalho social com ONGs e demais parceiros com os quais a empresa pode celebrar contratos e criar um elo em prol da manutenção de sua responsabilidade ambiental.

O conceito de sustentabilidade empresarial deve ser alimentado em reuniões e na comunicação interna.

Definir padrões

Definida a nova política da empresa, o objetivo agora é definir os novos padrões de conduta.

Essa iniciativa começa com a realização de reuniões, treinamentos, levantamento de dados sobre a exploração dos recursos naturais em todos os setores da empresa e tudo o mais que possa criar a chamada “cultura ambiental” no seio da organização.

Será preciso determinar em que setor a economia de água e energia pode ser maior; como substituir o plástico no dia a dia sem comprometer o andamento normal das atividades e também pesquisar a opinião dos funcionários e clientes sobre essas mudanças.

Logística Reversa

A Logística Reversa é um termo utilizado para designar o processo de retorno da matéria-prima à indústria de origem após o consumo de determinado produto.

Nesse processo, todas as fases que simbolizam a existência desse produto são planejadas: extração da matéria-prima, produção, armazenagem, transporte, consumo e descarte.

Enquanto a logística tradicional é aplicada para que o produto chegue até o cliente, a logística reversa preocupa-se em saber como o que sobrou desse produto poderá voltar para a indústria e servir de matéria-prima para a realização de novos objetos.

A Logística Reversa atualmente é uma das principais aliadas da sustentabilidade empresarial.

Adesão às novas tecnologias

Além de estimular a criação de ferramentas essencialmente voltadas para a sustentabilidade empresarial, essa iniciativa ajuda a tornar as ferramentas mais baratas, já que uma das razões dos preços altos é a pouca demanda.

A utilização de energias renováveis (solar, eólica, biomassa, etc), tem sido uma preocupação das principais multinacionais do planeta.

De acordo com estudos da Universidade Federal de Itajubá, aparelhos como o Ecoshower garantem uma economia de pelo menos 40% de energia nos chuveiros elétricos.

Os Ecosoftwares surgem como soluções para uma gestão sustentável de licenças e documentos, com a proposta de diminuir o volume de impressões em papel.

Incentive práticas sustentáveis

Nos restaurantes, o óleo de cozinha pode ser transformado em sabão.

Telhas transparentes mantêm a iluminação por um tempo bem maior. O lixo, a depender do seu conteúdo, pode ser amassado, o que diminui o seu volume e reduz a necessidade de uso dos sacos plásticos.

Além disso, o reaproveitamento de sobras de papel e a suspensão do uso de copos descartáveis são algumas das ações que podem ser postas em prática por qualquer empresa, independentemente do seu tamanho e área de atuação.

Trabalhe com “empresas verdes”

Outra atitude que também faz parte do chamado “Investimento Social Responsável” é o trabalho com empresas que são referências na aplicação de práticas sustentáveis.

É a visão de que quanto mais uma empresa dá preferência para a celebração de contratos com parceiros que atuam com responsabilidade ambiental, mais essa corrente será ampliada até formar uma espécie de “família sustentável”.

Assim, outras empresas serão estimuladas por essas organizações a aderirem às mesmas práticas sustentáveis, sob pena de perderem prestígio e parcerias no mercado.

Sem dúvida, a sustentabilidade empresarial começa com a mudança de pequenos hábitos do cotidiano.

Em resumo, a sustentabilidade empresarial é um assunto emergente e com a quantidade de informações disponíveis na internet não há como fugir da responsabilidade.

Os recursos naturais são transformados em produtos e essa “extração” não está sendo compensada.

Aliás, muitas vezes para retirá-los da natureza, as empresas utilizam máquinas que destroem a vegetação e ceifam a vida de espécies de animais que não conseguem viver em qualquer tipo de habitat.

Portanto, sustentabilidade tem a ver com a forma como usamos os recursos naturais e as atitudes que assumimos para que o ciclo não se quebre: se uma árvore é derrubada, outra deve ser plantada.

São ações que não demandam grandes investimentos, custos exorbitantes e projetos revolucionários.

A sustentabilidade empresarial está nas atitudes mais simples, na preocupação com os impactos ao meio ambiente e na vontade de preservar o que temos hoje para que não falte no futuro.

Agora, queremos saber a sua opinião sobre os assuntos abordados neste artigo:

O que você acha que as empresas e a sociedade podem fazer em prol de um mundo mais sustentável?

Participe. Comente abaixo, compartilhe conosco suas considerações e discuta com seus amigos este tema de grande relevância para o nosso futuro!

 



Publicado em: 17/05/2018

Gostou? compartilhe!