Rua Soldado Américo Rodrigues, 118 - São Paulo-SP 11 99480-2821 11 2954-3629 11 4380-1780

Quais são os principais tipos de plásticos recicláveis?

Gostou? compartilhe!

Quais são os principais tipos de plásticos recicláveis?

Apesar das inúmeras campanhas realizadas com o objetivo de demonstrar os benefícios da reciclagem do plástico – e, principalmente, os prejuízos causados pelo seu uso desenfreado –, as 8 milhões de toneladas que anualmente são encontradas no oceano, as 29 baleias cachalotes encontradas mortas (com o estômago cheio de plástico) na Alemanha e os quase 1,2 bilhão de sacolas plásticas que ainda são disponibilizadas ao consumidor em todo o mundo revelam que ainda há muito a ser feito.

O problema é que o plástico é um material reconhecidamente prejudicial ao meio ambiente, já que, além de levar séculos para ser degradado, a sua confecção exige o consumo de petróleo, eletricidade, água etc. produz efluentes industriais perigosíssimos. Quando descartado de forma irresponsável no meio ambiente o plástico é extremamente danoso.

Apesar dos esforços de conscientização, cerca de 1,2 bilhão de sacolas plásticas ainda são disponibilizadas (por minuto) aos consumidores.

Como forma de incentivar ainda mais a reciclagem do plástico, o governo insiste em ressaltar a sua importância econômica, pois, atualmente, um verdadeiro exército de pais e mães de família têm na reciclagem o seu principal meio de sustento.

Tal é o seu valor para a sociedade, que os chamados “catadores de lixo” hoje são parte integrante de um projeto de abrangência nacional, que busca envolver governo, empresas e população em torno de um projeto de descarte responsável pelos resíduos e rejeitos produzidos diariamente.

Quais tipos de plásticos são recicláveis?

De modo geral, os plásticos classificam-se em:

  • Termoplásticos: são os mais comuns e caracterizam-se pela facilidade que têm de serem manipulados após o seu aquecimento;
  • Termorrígidos: não oferecem a possibilidade de serem manipulados após seu aquecimento, já que a sua estrutura não permite o amolecimento sob a ação do calor.

Mas, para fins de reciclagem, a Associação Brasileira da Indústria do Plástico analisou os tipos mais recomendados. Entre eles, estão:

  • Tereftalato de Polietileno (PET): Responsável por cerca de 80% de toda a reciclagem de plástico no país. Geralmente é encontrado em forma de garrafas de refrigerantes e de água, potes de margarinas, embalagens de isotônicos, copos descartáveis, entre outros produtos semelhantes;
  • Polietileno de baixa densidade (PEBD): É outro tipo bastante comum na indústria de reciclagem de plásticos, e muito utilizado em embalagens de frios, embutidos, pães, massas, entre outros;
  • Polietileno de Alta Densidade (PEAD): Esse tipo também está entre os melhores para a reciclagem, e geralmente é com ele que são fabricadas as tampas e embalagens de shampoos, detergentes, desinfetantes, amaciantes, caixas de leite, garrafas de suco etc.;
  • Policloreto de Vinila (PVC): São popularmente conhecidos como tubos de PVC. No entanto, cones de sinalização, embalagens mais resistentes, calhas e alguns tipos de instrumentos musicais de brinquedo também são confeccionados com esse material;
  • Polipropileno (PP): O polipropileno é um polímero produzido a partir do gás propeno, e é um tipo de material plástico geralmente utilizado para a fabricação de produtos industriais ou da construção civil, como: canudos de bebidas, envoltórios para a proteção de algumas peças de carros, brinquedos, engradados de bebidas, dutos para efluentes químicos, entre vários outros objetos.
Simples e práticas, as garrafas PET representam cerca de 80% de todo o plástico reciclado no país.

Quais os tipos de processos de reciclagem existentes?

1. Reciclagem física ou mecânica

Esse é o tipo mais comum de reciclagem de plásticos, e, assim como os demais métodos de reciclagem, utiliza-se de restos de processos industriais (restos de fabricação, peças reprovadas, aparas, sobras e tudo o mais que seja rejeitado durante o processo) e de descarte particular (garrafas de bebidas, potes de cosméticos, embalagens de alimentos etc.).

Todo o processo começa com a coleta do material. Em seguida ele deverá passar por uma limpeza e triagem (para a escolha do que pode ser aproveitado). Finalmente, começa a reciclagem propriamente dita. O material será reduzido a pequenos grãos (sem modificação das suas propriedades físicas) que servirão como matéria-prima para a produção de diversos outros produtos.

2. Reciclagem química ou de resina

Neste caso, o processo de reciclagem do plástico é mais complexo, já que ele passa por uma transformação química capaz de fazê-lo “retroceder” à sua condição anterior, quando era um simples material petroquímico utilizado para a fabricação desses mesmos produtos que agora voltam para a reciclagem, num processo conhecido como Logística Reversa.

De um objeto polimerizado (plástico), ele retorna à sua condição de monômero (matéria-prima), por meio de complexas manipulações químicas, que envolvem a aplicação de solventes, ácidos, calor, entre outros processos químicos, como a hidrogenação, gaseificação, quimólise, pirólise, entre outros.

3. Reciclagem energética

Já a reciclagem energética transforma o material recolhido em energia termelétrica, em um processo em que  o plástico é submetido a altas temperaturas, e o vapor que resulta dessa incineração é convertido em energia capaz de movimentar hélices conectadas a turbinas. Desse movimento, produz-se energia cinética na ordem de 640 Kwh para cada 1.000 quilos de plástico reciclado.

Isso ocorre graças à composição do plástico (que é derivado do petróleo), capaz de, aquecido, produzir energia suficiente para substituir o óleo diesel e demais combustíveis fósseis, pois alguns materiais plásticos encontrados nos aterros sanitários possuem uma capacidade combustível de pelo menos 40 mil BTU por quilo de resíduo; e quando comparado à madeira (que possui 15 mil BTU/kg), faz essa comparação parecer mesmo uma covardia.

O plástico reciclado é utilizado para quais produtos?

A capacidade de abrangência da reciclagem é um dos principais trunfos para a conscientização dos indivíduos sobre a importância de devolver à indústria os materiais produzidos e, com isso, aumentar a sua vida útil.

Esse processo é conhecido como logística reversa e é capaz de ajudar as empresas a aumentar os seus lucros e diminuir as suas despesas, principalmente com matéria-prima, que, por meio da reciclagem, deixa de ser, ao menos em parte, uma dor de cabeça para a empresa.

Portanto, inúmeros são os produtos que podem ser obtidos pela reciclagem dos vários tipos de plásticos existentes:

1. PET

Garrafas de refrigerantes, copos descartáveis, fibras para vassouras, embalagens de produtos, entre outros.

2. PVC

Tubos de esgoto, mangueiras, canetas, utensílios de cozinha, cones de sinalização, brinquedos, tampas e muitos outros produtos.

3. PEAD

Potes de cremes e demais cosméticos, garrafas para produtos de limpeza, combustíveis, conduits etc.

4. PP

Cabos de escovas de dentes, funis, engradados de cerveja, cabos, caixas para bateria de carro, cabos de vassouras etc.

5. PEBD

Sacos para lixo, mangueiras para irrigação de jardins, envelopes, sacolas, bolsas, utensílios de cozinha, entre outros.

6. PS

Mesas, cadeiras, placas para isolamento térmico, copos, pratos, energia, combustíveis, entre outras várias possibilidades.

Essas foram as nossas conclusões sobre os principais tipos de plásticos para reciclagem. Caso você queira acrescentar algo mais, fique à vontade para deixar um comentário. E continue acompanhando as nossas publicações.

 



Publicado em: 17/05/2018

Gostou? compartilhe!